O 12º dia de competições nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, foi marcado por conquistas brasileiras no atletismo e no judô. Entretanto, mesmo com os quatro ouros, o Brasil viu Cuba encostar ainda mais no quadro geral de medalhas.

Na decisão da categoria acima dos 100 kg no judô, Rafael Silva mostrou pouca combatividade, perdeu para o cubano Oscar Rene Brayson e ficou com a prata. Porém, logo depois, Luciano Corrêa deu o troco para o Brasil e bateu o cubano Oreydi Despaigne na categoria meio-pesados e ficou com o ouro.

O atletismo começou a mostrar sua força com o ouro de Leandro Oliveira nos 1.500 m. Depois foi a vez das mulheres brilharem. Quase que simultaneamente, Maurren Maggi fez sua melhor marca no salto em distância e subiu no ponto mais alto do pódio. Já no heptatlo, Lucimara da Silva dominou as sete provas nos dois dias e também levou o ouro para casa.

O basquete brasileiro masculino estreou com vitória sobre o Uruguai. Em um jogo bastante disputado, o Brasil venceu por 80 a 71 e amanhã entra em quadra contra os norte-americanos.

No vôlei masculino, o time comandado por Rubinho entrou em quadra já classificado contra os Estados Unidos. Mesmo perdendo o primeiro set, a equipe brasileira se recuperou e bateu os norte-americanos por 3 sets a 1.

A pior notícia do dia veio da ginástica artística masculina. Com chances reais de medalha, o ginasta Sergio Sasaki sentiu uma lesão no pé direito e teve que abandonar a final individual da modalidade.

Ao fim do 12º dia de competições, o Brasil segue firme na segunda colocação no quadro geral de medalhas com 33 ouros, 21 pratas e 36 bronzes. Cuba, em terceiro, diminuiu a vantagem e tem 30 medalhas de ouro. Isolado em primeiro seguem os norte-americanos com 70 ouros. 

Sem mais artigos