Nesta quinta-feira, 17 de maio, comemora-se o Dia Mundial Contra a Homofobia. Criada em 1990, a data marca o momento em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade do seu catálogo de doenças. Porém, mesmo com a pressão dos diversos movimentos anti-homofobia, o preconceito ainda segue presente em alguns setores sociais, principalmente no esporte.

Com várias barreiras criadas nas mais diferentes modalidades, muitos atletas homossexuais sempre temeram revelar sua orientação sexual. Só que nos últimos anos esse quadro deu uma virada generalizada e o número de esportistas assumidos cresceu de uma forma relevante.

E um dos precursores dessa iniciativa foi ninguém menos que Gareth Thomas, um dos maiores jogadores de rúgbi da história do País de Gales. Jogador que mais vezes vestiu a camisa de sua seleção no esporte, o atleta assumiu sua homossexualidade em dezembro de 2009, surpreendendo a todos, principalmente sua ex-mulher Jemma, com quem ficou casado até 2007.

Pouco tempo após a revelação, Gareth Thomas disse que estava satisfeito por ter aberto as portas – ou o armário – para que outros esportistas também assumam sua homossexualidade.

E a maior prova do crescimento de atletas fora do armário são os números apresentados durante as Olímpiadas de Londres. A quantidade de gays e lésbicas que participou do evento em 2012 foi maior do que as edições anteriores, indo contra ao ocorrido nos Jogos de Berlim de 1936, realizada sob o regime nazista que queria provar a tese de superioridade de uma raça.

O mais interessante disso foi o resultado apresentado por eles na capital inglesa. Foram pelo menos 23 atletas LGBT assumidos que competiram em Londres e, de acordo com pesquisa feita pela Outsports – site dedicado aos fãs e esportistas gays –, mais de 42% deles conseguiram alguma medalha para o seu país nestas Olimpíadas, ficando à frente no quadro de medalhas de países como o Brasil.

Recentemente, o assunto voltou à tona. Jason Collins, pivô do Washington Wizards, uma das potências da NBA, resolveu admitir que é gay. Seguindo o exemplo do jogador de basquete, o campeão universitário e uma das principais promessas da NFL, Kevin Grayson, também assumiu ser homossexual.

Até mesmo no futebol, considerado um dos esportes mais machistas, as revelações começaram a surgir nos últimos anos. Robbie Rogers, bicampeão da MLS (Major League Soccer, o campenato americano de futebol) e ex-jogador do Leeds United, da Inglaterra, assumiu publicamente ser gay. A atitude fez com que Matt Jarvis, do inglêss West Ham, que não é gay, aceitasse posar para a capa de uma revista voltada para o público homossexual, para incentivar os esportistas gays a assumirem sua orientação de forma pública.

Casos no Brasil

Além dos atletas de outros países, o Brasil também possui jogadores que assumiram publicamente sua homossexualidade. O meio de rede Michael, ex-Vôlei Futuro, foi alvo de uma polêmica muito grande no jogo do seu time contra o Cruzeiro, em 2011. Ofendido pelos torcedores da equipe mineira, o atleta aproveitou o momento para confirmar que era gay.

Além dele, a goleira da seleção feminina de handebol do Brasil, Mayssa Pessoa, é outra esportista do país a confirmar sua orientação sexual.

Veja na lista abaixo – e na galeria acima – os atletas que assumiram ser gays:

Megan Rapinoe (Estados Unidos, futebol)
Rikke Skov (Dinamarca, handebol)
Maartje Paumen (Países Baixos, hockey na grama)
Natalie Cook (Austrália, vôlei de praia)
Alexandra Lucrabère (França, handbol)
Jessioa Landtrom (Suécia, futebol)
Hedvig Lindahl (Suécia, futebol)
Lisa Dahlkvist (Suécia, futebol)
Carole Péon (França, triatleta)
Jessica Harrison (França, triatleta)
Ina-Yoko Teutenberg (Alemanha, ciclismo)
Matthew Mitcham (Austrália, trampolin)
Edward Gal (Países Baixos, equitação)
Lisa Raymond (Estados Unidos, tênis)
Judith Arnt (Alemanha, ciclismo)
Seimone Augustus (Estados Unidos, basquete)
Imke Duplitzer (Alemanha, esgrima)
Marilyn Agliotti (Países Baixos, hockey na grama)
Carl Hester (Reino Unido, equitação)
Carlien Dirkse van den Heuvel (Países Baixos, hóckey sobre grama)
Mayssa Pessoa (Brasil, handebol)
Michael (Brasil, vôlei)
Jason Collins (Estados Unidos, basquete)
Robbie Rogers (Estados Unidos, futebol)

Sem mais artigos