A Fifa apresentou nesta segunda-feira (09) no estádio do Maracanã o sistema detector automático de gols (DAG) que será utilizado durante a Copa do Mundo e permitirá que seja detectado eletronicamente se a bola atravessou completamente a linha de meta.

Durante o evento de apresentação, o presidente da empresa responsável pelo desenvolvimento da tecnologia, Bjorn Lindiner, explicou que em cada estádio serão posicionadas 14 câmeras ao redor do gramado, o que permite ter uma capacidade de detecção 30 vezes maior que a visão humana.

“Cada câmera está conectada por fibra óptica com um servidor. As imagens são analisadas por um computador e, caso haja um gol, o árbitro recebe um sinal em menos de um segundo por meio de um relógio”, explicou Lindiner, que acredita que a tecnologia não diminui a emoção no futebol.

“A emoção já é suficiente em qualquer jogo deste esporte. Não estamos mudando o futebol, só ajudando os árbitros”, destacou o presidente da empresa responsável pelo desenvolvimento da tecnologia.

De acordo com uma nota emitida pela Fifa, o projeto nasceu em 2010 após uma série de lances polêmicos, como o gol do meia inglês Frank Lampard na derrota do English Team para a Alemanha nas oitavas de final da Copa de 2010.

Após dois anos de testes exaustivos, esse sistema foi aprovado e utilizado pela primeira vez no Campeonato Inglês, que estreou o sistema na temporada 2013/2014.

No entanto, apesar de todo o aparato, ficou determinado pela Fifa que a decisão final estará nas mãos dos árbitros e por isso a tecnologia é considerada uma ferramenta de apoio.

Sem mais artigos