Na mesma linha de discurso do governo brasileiro que afirmou que a crise financeira não chegaria no Brasil, o diretor comercial da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, informou que a principal categoria do automobilismo mundial não sofrerá com a situação da economia em entrevista ao jornal sérvio “Press”.

 

"Se vê com clareza que esta crise econômica afeta todos os aspectos da indústria, inclusive, claro, a automobilística. Porém, isso não terá muito impacto na F-1", disse Ecclestone, que completou dando dicas de marketing para as empresas.

 

"Para as grandes empresas internacionais que querem que seus anúncios sejam vistos no mundo inteiro, o circo mais veloz é a forma mais barata de conquistar esse objetivo de marketing", finalizou o diretor.

 

No entanto, o discurso de Ecclestone em momento algum comentou a saída da Honda, que só continuará na Fórmula 1 caso consiga alguém que a compre. Para o dirigente, o que garante a “saúde” da categoria são os bons contratos de patrocínios que estão sendo fechados e renovados.

 

Leia também:

 

Sem temer crise econômica, Manchester City investirá 100 milhões de libras em reforços

Sem mais artigos