Foi longe de ser igual ao vexame masculino, mas foi tão doloroso quanto. O futebol feminino perdeu para o Canadá nos pênaltis depois de permitir o empate aos 42 minutos da segunda etapa do tempo regulamentar. Com goleira Le Blanc defendendo dois pênaltis, a seleção feminina ficou com a prata no Pan-Americano de Guadalajara, no México.

Logo aos 3 minutos de jogo, Debinha, que não era cotada para ser titular, arriscou da intermediária e acertou no ângulo da goleira Le Blanc. No restante da primeira etapa, as canadenses seguiram a tática de alçar bolas na área para tentar o desvio de cabeça, mas a seleção brasileira esteve sempre bem postada.

Já no segundo tempo, o jogo parecia estar nas mãos do Brasil. Com o Canadá pressionando, a equipe brasileira levava muito mais perigo nos contra-ataques e perdeu algumas oportunidades de gol com Maurine, Debinha e Thaís Guedes.

O castigo veio aos 42, e na jogada predileta das canadenses: bola aérea. Depois do escanteio cobrado pela esquerda, Sinclair antecipou-se da goleira Bárbara e empatou a partida. Com a igualdade em 1 a 1, o jogo foi para a prorrogação.

No tempo extra, as ações foram comandadas pelas canadenses. Tentando explorar o contra-ataque novamente, as brasileiras pareciam cansadas e não conseguiram levar perigo ao gol de Le Blanc. Já Bárbara teve trabalho e se destacou com uma grande atuação. Ao fim dos 30 minutos de prorrogação o empate permaneceu e a decisão foi para os pênaltis.

Nas cobranças, a goleira canadense brilho. Le Blanc defendeu os pênaltis de Debinha e Grazielle e o Canadá conquistou o título dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara.

Brasil – Marcaram:  Francielle, Maurine, Ketlen
Perderam: Grazielle e Debinha.

Canadá – Marcaram: Matheson, Sinclair, Booth, Schmidt 
Perdeu: Chapman

Sem mais artigos