Acabou a primeira fase da Copa do Mundo e muitos atletas já estão voltando pra casa. Podemos começar a chorar, pois muitos vão deixar saudades. Aqui selecionamos 14 jogadores que poderiam muito bem ficar para sempre aqui no Brasil.

Samuel Eto´o (Camarões) – Eto´o começou bem a Copa dizendo que Obina era melhor que ele (respondendo a uma pergunta sobre o famoso grito de “Obina é melhor que Eto´o”), mas conquistou mesmo o nosso coração já no fim da primeira fase, com a seleção de Camarões eliminada.

A caminho do ônibus, ele parou para abraçar um garoto que chamava o seu nome. Percebendo a importância daquele gesto para o menino, Eto´o não aguentou e começou a chorar. Momento inesquecível.

Chicharito Hernández (México) – A seleção do México foi protagonista de uma das cenas mais emocionantes antes mesmo da Copa começar, quando foi recepcionada pela população de Santos cercando o ônibus da deleção em frente ao Parque Balneário Hotel.

Chicharito retribuiu um pouco desse carinho e resolveu bater uma bola na praia com alguns garotos que estavam ali. Trajando a camisa do Santos, o craque mexicano mostrou algumas boas jogadas nas areias da cidade de Pelé. Em alguns anos, esses meninos vão poder dizer para os netos: “Eu joguei bola com o Chicharito na praia de Santos”.

Joel Campbell (Costa Rica) – Semanas antes da Copa começar, Campbell já provou que era um mito, quando postou uma foto no Instagram, dizendo que comprou 100 pacotinhos de figurinhas e não encontrou a sua. Depois do episódio, alguns torcedores se ofereceram para ajudar Campbell com a sua coleção.

Dentro de campo, Campbell provou que também é mito e foi um dos protagonistas na campanha que levou Costa Rica ao primeiro lugar no grupo da morte.

Mark Bresciano (Austrália) – A campanha da Austrália na Copa não foi das melhores (três derrotas em três jogos), mas Mark Bresciano protagonizou um momento inesquecível quando amarrou a chuteira de um garoto de muletas que o acompanhou na entrada do gramado.

Bryan Ruiz (Costa Rica) – A Costa Rica, além de ser a sensação da Copa, é a seleção mais carisma. Bryan Ruiz, “maestro” desse time, além do show dentro dos gramados, dá show fora deles também. Bryan postou uma foto em seu twitter imitando a sua cara na figurinha do álbum da Copa.

Além disso, Bryan posta várias fotos elevando o nível de carisma de qualquer rede social. Completando o álbum de figurinhas com a sua família, na frente do armário do Pelé no vestiário da Vila Belmiro etc.

Edin Dzeko (Bósnia) – Dzeko era o grande craque da Bósnia, único time que jogava pela primeira vez uma Copa do Mundo. A equipe européia chegou no Guarujá dando show de simpatia. Tiraram fotos da recepção da escola de samba Amazonense e adotaram um cachorro de rua como mascote da seleção (e deram o genial apelido de Bosdog).

Sulley Muntari (Gana) – O jogador ganês é conhecido em seu país por seu envolvimento com causas sociais e a fundação para ajudar vítimas do HIV que tem ao lado de sua mulher.

Em Maceió, onde Gana estava hospedada, Muntari passeou nos arredores do estádio Rei Pelé e distribuiu dinheiro para pessoas das comunidades carentes do local. O Silvio Santos da vida real.

Lukas Podolski (Alemanha) – Podolski é um dos caras que parece tão encantado com o nosso país, que parece que certamente terá dificuldade de sair daqui tão cedo.

No Instagram do jogador é possível vê-lo se divertindo na praia, com índios e até tirando selfie com a presidente alemã, Angela Merkel.

Bastian Schweinsteiger (Alemanha) – Além de ter cantado o hino do Bahia ao lado do goleiro Manuel Neuer, da Alemanha, ainda antes de começar a Copa, Schweinsteiger foi mais um alemão que se acabou no Nordeste. A foto dele com o fã que tatuou “Schweinsteiger” nas costas e “Bastian” no braço diz tudo.

Cristiano Ronaldo (Portugal) – Não jogou em sua melhor forma e não conseguiu fazer muito para o seu time avançar para as fases finais, mas CR7 sempre dá um show de humildade fora dos gramados. Abraçou as crianças que pediram um abraço antes de entrar em campo e só não deu a camisa para um deles, pois não seria legal jogar sem ela.

Didier Drogba (Costa do Marfim) – O craque da seleção da Costa do Marfim, que está hospedada em Águas de Lindóia, foi o responsável por fazer uma vaquinha de R$ 10 mil entre os jogadores de seu time. O dinheiro será um presente para os funcionários do hotel onde os Elefantes ficaram hospedados.

Arjen Robben (Holanda) – Robben encantou o mundo com suas belas jogadas e gols na primeira fase da Copa. O holandês parece ser um dos europeus que mais está curtindo o Brasil e aproveitou para jogar frescobol na praia de Ipanema.

Mario Balotelli (Itália) – O ídolo italiano deixou a desejar na Copa, mas deixou essa linda mensagem em seu facebook: “Valeu Brasil! A Copa não foi ótima para mim mas estar com vocês foi nota 10! Os brasileiros estão no meu coração e deixam saudades… Agora mostrem que são o país do futebol e sejam os reis dessa festa!! Vai Seleção!!!”

Valeu você, Balota!

Miguel Herrera (México) – Tudo bem, Miguel Herrera não é mais jogador, mas é de longe o técnico mais carisma dessa Copa. Suas comemorações a cada gol do México são épicas e Herrera já virou o rei dos gifs na internet.

Seu twitter também é bastante animado. O técnico mexicano posta várias selfies, registrando cada passo da seleção de seu país pelo Brasil.

Bônus: Miguel Herrera cantando um skazinho

Os 14 jogadores da Copa que poderiam ficar para sempre no Brasil

Sem mais artigos