Mesmo diante de um Sporting Cristal eliminado, o Palmeiras foi derrotado por 1 a 0 nesta quinta-feira (18) no estádio Alberto Gallardo, em Lima, mas se classificou para as oitavas de final da Taça Libertadores com a primeira posição do grupo 2 graças a um gol do Libertad, que foi eliminado ao perder por 5 a 3 para o Tigre.

O time paulista terminou a campanha na fase de grupos com nove pontos, superando o Tigre no saldo de gols (0 a -1). Dependendo de um empate em casa com os argentinos para avançar, o Libertad foi batido e parou nos oito pontos, mesmo número do Sporting Cristal.

Em Lima, os donos da casa levaram a melhor em um estádio praticamente vazio graças a um belo gol de Ávila no começo da segunda etapa.

Ao mesmo tempo, em Assunção, Pérez García liderou a classificação do vice-campeão da Copa Sul-Americana de 2012, com dois gols. Os paraguaios jogaram cerca de 60 minutos com um a menos, devido à expulsão de Benegas, que cometeu pênalti que originou o terceiro gol do adversário.

O Tigre ia vencendo por 5 a 2 e avançando com a liderança da chave, mas um gol de Pablo Velázquez para o Libertad aos 46 da segunda etapa deixou o Alviverde no topo da tabela e o Tigre em segundo.

Os próximos adversários de Palmeiras e Tigre serão conhecidos ainda nesta noite. Falta apenas o fechamento do grupo 8, de Fluminense e Grêmio, para que sejam definidos todos os confrontos das oitavas.

Gilson Kleina não pode contar com várias peças do elenco que não foram inscritos na Libertadores, entre eles o atacante Leandro, jogador de seleção.

O zagueiro Henrique e o atacante Vinícius, pendurados com dois cartões amarelos, não viajaram para o Peru a fim de evitar uma possível suspensão. Já o volante Wesley foi expulso na última partida, contra o Libertad, e foi desfalque.

Kleina ainda teve um problema de última hora. O meia Ronny teve uma crise de amigdalite e foi substituído pelo jovem Emerson, que fez sua estreia no torneio.

Mesmo eliminado, o Sporting Cristal foi quem teve a iniciativa no começo da partida. Com menos de 12 minutos, o Palmeiras já havia levado três sustos, dois deles em lances de bola parada com Lobatón. Aos seis, o volante cobrou falta, Caio desviou e quase marcou contra; três minutos depois, ele bateu direto e Prass mandou para escanteio.

Aos poucos, o Alviverde foi se fazendo presente no campo de ataque. Aos 18 minutos, Juninho levantou da esquerda e Souza bateu de primeira, mas pegou mal e errou o alvo por muito.

O ritmo do jogo foi caindo sensivelmente, e o Palmeiras trocava passes à espera de uma oportunidade de gol, que veio aos 27. Charles descolou ótimo lançamento na direita da área para Emerson, que, de frente para o goleiro, demorou a chutar e foi travado.

O time paulista já tinha o jogo sob controle, mas esbarrava nos próprios erros e por isso não conseguia abrir o placar. Aos 37, Caio foi lançado na entrada da área e, mesmo em condições de finalizar, tentou o passe na esquerda para Emerson, que foi antecipado por Valverde.

A grande chance de gol antes do intervalo, porém, foi do Sporting de Cristal. Aos 42 minutos, Lobatón arriscou de longe, mas bateu mal. O erro virou acerto, e Rengifo ficou com a bola perto da marca do pênalti, mas arrematou por cima.

O Alviverde não voltou 100% ligado para o segundo tempo e foi castigado por isso logo aos três minutos. Ávila foi acionado na direita, foi levando para o meio sem ser combatido e acertou um belo chute de fora da área que acertou o ângulo direito de Fernando Prass.

A equipe visitante não esboçou reação após o gol, e os donos da casa não continuaram em cima para fazer o segundo. Depois de alguns momentos de poucas emoções, o Palmeiras voltou a incomodar com duas finalizações de longe em sequência, aos 13 minutos. Na primeira, Charles arriscou e Penny caiu para defender; na segunda, Ayrton bateu muito perto da trave.

Relaxado até demais, o time paulista entrou no jogo apenas nos 15 últimos minutos, principalmente devido à entrada de Maikon Leite, que substituiu Charles. Aos 34, Tiago Real se livrou da marcação e rolou para o atacante, que, de primeira, encobriu a meta.

Quatro minutos depois, Maikon Leite trocou passes com Ayrton e saiu na cara do gol, mas concluiu mal e viu a bola passar à direita da meta.

A última boa oportunidade surgiu aos 46, quando o goleiro saiu mal, Maikon Leite pegou a sobra e devolveu para a área. Com muito frieza, Ayr dominou quase em cima da linha e depois afastou, garantindo a vitória peruana.

Sem mais artigos