O presidente do San Lorenzo, Matías Lammens, discursou à imprensa nesta quarta-feira após assistir a uma celebração no Vaticano após a qual presenteou o papa Francisco com uma camisa do Ciclón, clube do qual é torcedor.

“Estamos orgulhosos de ter um sócio e um torcedor como o papa Francisco”, disse Lammens.

Ao lado do tesoureiro do clube argentino, Leonardo Lipera, e do secretário, Miguel Mastrosimone, o dirigente se sentou na primeira fila durante a audiência-geral das quartas-feiras, realizada na Praça de São Pedro.

A celebração contou com o pontífice falando em espanhol e cumprimentando os argentinos presentes, dizendo que era algo “muito importante” para ele.

No final da audiência, o papa Francisco conversou alguns minutos com os dirigentes do clube, que lhe presentearam com uma camisa da equipe, um livro com a história do mesmo e uma estola, réplica da utilizada pelo fundador do clube, Lorenzo Bartolomé Martin Massa.

O presidente do San Lorenzo afirmou ao jornal vaticano L’Osservatore Romano que todos estão “orgulhosos” de contar com Jorge Mario Bergoglio em sua torcida.

A relação entre Bergoglio e o San Lorenzo é longa, e desde criança seu pai o levava até o estádio para assistir os jogos do time argentino. Quando foi nomeado arcebispo de Buenos Aires, o pontífice deixou de ir ao estádio, mas “manteve os laços com o clube”, segundo Lammens.

“Com a audiência-geral de hoje, nós queremos agradecer todas suas atenções conosco e o convidamos para que volte a nossa sede, que já conhece, e assista a um jogo em nosso estádio”, revelou.

A camisa do clube é a segunda recebida pelo papa em poucos dias. No último dia 31, após a missa do Domingo da Ressurreição, e durante o percurso que o pontífice fez no ‘papamóvel’ pela Praça de São Pedro, um grupo de torcedores do San Lorenzo o presenteou com o uniforme. O religioso, que celebrou a missa de centenário do clube, em 2008, recebeu o presente com um grande sorriso e mostrou com alegria.

No dia 20 de março, Francisco deu sua bênção ao clube de seu coração, e lembrou a todos a importância da “competitividade saudável, da fraternidade e do respeito mútuo”. 

Sem mais artigos