Em boa fase no Tottenham, onde marcou mais um gol pelo time no último jogo (4 a 0 no Newcastle), e praticamente garantido na lista de Felipão entre os 23 que disputarão a Copa do Mundo, Paulinho novamente utilizou o Twitter para apoiar o volante Tinga, do Cruzeiro, que foi alvo de racismo na última quarta-feira (12) em, jogo válido pela Libertadores contra o Real Garcilaso, no Peru.

Com o comentário “Não ao racismo”, o ex-corintiano anexou uma foto na qual aparece a tatuagem em suas costas, que diz “O meu Deus nunca faltará” (veja abaixo).

Um dia após o citado jogo da Raposa, na quinta-feira (13), Paulinho já havia lamentado o ocorrido pela mesma rede social.

“Deprimente que, em pleno século 21, uma pessoa seja discriminada por sua cor de pele, ao invés de seu caráter”, escreveu o jogador dos Spurs, inserindo também a hashtag “FechadoComOTinga, a mesma compartilhada por outros atletas, como o companheiro de time de Tinga, Nilton, o ex-cruzeirense Ramires, Neymar e até a presidente Dilma (veja abaixo).

Sem mais artigos