Pelé voltou a manifestar a vontade de ver um novo duelo entre as seleções de Brasil e Uruguai em uma final da Copa do Mundo no Maracanã, para que o time verde-amarelo tenha a chance de vingar a derrota de 1950.

“Vivi um momento triste em 1950 e, se tivesse o dom divino, gostaria de jogar a final contra o Uruguai”, disse nesta segunda-feira o Rei do Futebol a jornalistas no México.

Na semana passada, ele já tinha revelado tal desejo (veja aqui). Lembrou que, em 1950, após a derrota do Brasil para o Uruguai por 2 a 1, viu seu pai, Dondinho, chorando e lhe prometeu que ganharia um Mundial para ele e para o país. A promessa foi cumprida em 1958.

Pelé ainda mostrou preocupação com a possibilidade de protestos populares atrapalharem não só a Copa, como também o turismo no Brasil.

“Se os protestos continuarem, sem dúvida alguma que afetarão (Copa e turismo). Sabemos que 25% dos estrangeiros que vão ao Brasil estão preocupados e alguns já cancelaram suas viagens. Isso afeta economicamente o país”, comentou.

Segundo o tricampeão mundial, os manifestantes deveriam ter protestado contra a Copa quando a Fifa anunciou o país como sede, há seis anos.

“O dinheiro que foi gasto nos estádios foi muito grande, e parte dele deveria ter sido aplicada em escolas e hospitais, já que o Brasil precisa disso, mas lamento que até agora os manifestantes protestem”, destacou.

Sobre o Mundial dentro das quatro linhas, Pelé mostrou confiança na defesa e preocupação com a pressão nas costas de Neymar.

“Temos um bom time da metade para trás, mas a dúvida é no ataque. Também acho que é cedo demais para colocar toda a responsabilidade em Neymar em sua primeira Copa”.

Apesar disso, o Rei do Futebol acredita que a Seleção Brasileira está entre as favoritas ao título, ao lado de Espanha e Alemanha.

Sem mais artigos