A porta-voz da família do sul-africano Oscar Pistorius desmentiu nesta terça-feira (22) que o atleta tenha recebido aulas de interpretação para fingir suas emoções durante o julgamento pela morte de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

A família contestou a colunista sul-africana Jani Allan, que assegurou neste final de semana saber de uma “fonte confiável” que afirmou que o corredor teve aulas com um amigo para atuar durante seu depoimento oral.

“Negamos que nosso cliente tenha recebido aulas de interpretação ou qualquer outra forma de treino emocional”, disse a porta-voz dos Pistorius, Anneliese Burgess.

“Este tipo de comentários são uma mentira enorme sobre uma tragédia humana que envolve a família Steenkamp, nosso cliente e sua família”, acrescentou.

Oscar Pistorius concluiu na semana passada uma dramática declaração de sete dias após um duro interrogatório pelo promotor e no qual chorou em repetidas ocasiões.

Pistorius confessou ter matado a tiros Steenkamp na madrugada de 14 de fevereiro do ano passado.

O velocista disparou contra a modelo -que então tinha 29 anos- através da porta fechada do banheiro de sua casa de Pretória, embora assegura que tenha feito o disparo por pânico, ao pensar que um ladrão tinha invadido sua casa pela janela do cômodo em questão.

A Promotoria acusa Pistorius de assassinato, e sustenta que o atleta matou Reeva de forma proposital após uma suposta discussão.

O julgamento, que começou em 3 de março, foi adiado na quinta-feira passada até 5 de maio, e está previsto que termine 11 dias depois.

Sem mais artigos