Policiais militares de São Paulo foram a Israel para aprender táticas de combate ao terrorismo pensando na Copa de 2014. Um grupo de PMs comandado pelo coronel Álvaro Camilo passaram 15 dias estudando formas de prevenir atentados.

Como o Brasil nunca teve esse tipo de preocupação, o governo está buscando alianças com outros países para garantir a segurança no evento. O capitão Ronilson de Souza Luiz, do centro de ensino da PM, explicou que a questão do terrorismo e como agir diante de uma situação dessa foi a grande lição aprendida durante a visita a Israel. “O coronel tem enfatizado para todos nós é que a segurança pública é responsabilidade de todos”.

Além do treinamento anti-terror, vai ser necessário investir pesado na formação de novos quadros para a Polícia, já que de 2010 a 2014, cerca de 15 mil agentes só do estado de São Paulo vão se aposentar.

Como a preparação de um policial leva mais ou menos quatro anos, é preciso começar a investir agora para garantir a segurança durante a Copa. Cursos de idioma estão sendo ministrados para oficiais e soldados que terão contato direto com turistas de todo o mundo. Os agentes poliglotas vão trazer na farda as bandeiras identificando quais idiomas eles dominam.

Em pelo menos uma das ameaças da Copa do Mundo, os policiais de São Paulo já estão craques: os hooligans. Os anos de trabalho com as torcidas organizadas daqui ensinaram os policiais a controlar torcedores baderneiros e violentos. Porém, a grande incógnita é como evitar que atentados terroristas estraguem a festa e coloquem em risco a vida de atletas e torcedores.

Para o ex-secretário nacional de segurança pública, o coronel Jose Vicente da Silva, o importante é buscar alianças com outros países na área de inteligência. Ele explicou ainda que o Brasil precisa aprender a lidar com a questão para proteger os turistas durante o evento.

PM treina homens contra terrororismo na Copa de 2014

Sem mais artigos