A polícia portuguesa investiga um suposto caso de suborno a um árbitro, que envolveria um dos vice-presidentes do Sporting Lisboa, suspenso pelo clube nesta quinta-feira, após buscas realizadas na casa e escritório do dirigente.

Por meio de comunicado, o clube português anunciou que Paulo Pereira Cristóvão foi quem pediu o afastamento, enquanto durarem as investigações.

O vice-presidente, policial aposentado, é responsável pela área de infraestrutura e patrimônio do Sporting. Ele também emitiu comunicado explicando que o pedido de suspensão foi feito pelo interesse do clube, mas que a decisão não é uma confissão.

A Polícia Judiciária de Portugal informou que a operação, que também se estendeu a sede do clube, também investiga denúncia do delito de calúnia, por conta das revelações feitas por diversos veículos de imprensa, sobre uma suposta entrega de dinheiro ao árbitro auxiliar José Cardinal.

A imprensa divulgou nesta quarta-feira que Cardinal está sob investigação por ter sido o destinatário de uma transferência em dinheiro de 2 mil euros (quase R$ 5 mil), antes do confronto entre Sporting e Marítimo, em dezembro, pela Copa de Portugal.

O assistente, que segundo as denúncias, teria recebido o dinheiro de um banco da Ilha da Madeira, foi afastado do trio de arbitragem da partida, momentos antes da bola rolar, por “motivos pessoais”, de acordo o Conselho de Árbitros da Federação Portuguesa de Futebol.

A imprensa tem garantido que foi o próprio Sporting que fez as denúncias à Federação, entretanto nem o clube, nem a polícia confirmam a informação.

A partida entre Sporting e Marítimo, disputada no estádio José Alvalade, válida pelas quartas de final da Copa de Portugal terminou com o placar de 3 a 0 para o time lisboeta.

Polícia investiga suspeita de suborno para favorecer o Sporting Lisboa

Sem mais artigos