Um dos maiores nomes brasileiros da história do boxe, Acelino Popó Freitas reconhece que a modalidade está em baixa. Em entrevista ao programa “De Frente com Gabi”, o deputado federal reconheceu o crescimento do MMA.

“O boxe ficou um pouco apagado por conta do MMA”, disse o ex-pugilista, que busca a regulamentação da modalidade no país. “Sou autor do projeto de lei para regulamentar o MMA no Brasil”, completou.

 

Agora longe dos ringues, Popó sonha com voos mais altos também em sua vida política. “Minha meta é ser governador da Bahia daqui 10 anos”, garantiu o ex-pugilista, que disse ter entrado na política para ajudar o esporte.

Ainda na mesma entrevista, o boxeador admitiu ser uma pessoa preocupado com a aparência. “Fiz cirurgia plástica no nariz, sou bastante metrossexual”, revelou.

Tetracampeão mundial de boxe, em duas categorias diferente, o ex-atleta soube guardar os bens conquistados com a luta para não ter dificuldades depois da aposentadoria. “Tudo que ganhei, eu guardei, porque sabia que ia ter de parar um dia”, afirmou.

Para finalizar, Popó falou sobre o fato de ser um ídolo nacional e lembrou um momento difícil de sua vida.

“Os bons ídolos tem de ser exemplo no que fazem e na vida pessoal. Nunca briguei na rua e nem usei o boxe pra machucar ninguém”, falou. “Fiquei em depressão por ter sido acusado de algo que não fiz”, complementou ao lembrar da acusação de envolvimento em um assassinato.

A entrevista vai ao ar no próximo domingo (18) a partir da 0h05 no SBT.

Sem mais artigos