A russa Maria Sharapova, número dois do mundo, espera se transformar novamente na melhor tenista do mundo, apesar de reconhecer que, por enquanto, a bielo-russa Victoria Azarenka ocupa merecidamente o topo do ranking da WTA.

Sharapova falou nesta sexta-feira à Agência EFE sobre a rivalidade recente com Azarenka, para quem perdeu as finais do Aberto da Austrália e do Masters Series de Miami, conseguindo a revanche em Sttutgart.

“Por enquanto, Azarenka é a número um. Tenho certeza de que ela é minha principal adversária no momento. Vem tendo uma temporada fantástica e está em grande forma, e tendo me vencido duas vezes no ano, está com uma confiança muito grande, definitivamente é minha maior rival, afirmou ‘Masha’.

A número dois do mundo comentou sobre suas expectativas para a temporada de saibro, que se encerrará em Roland Garros, um dos quatro Grand Slam do ano.

“Nestas duas semanas que antecedem Roland Garros, quero melhorar, me atualizar e ver como tudo acontecerá. Para mim este torneio é uma grande oportunidade para ver como estou, se me sinto bem, e de ajustar meu jogo, indo para Paris da melhor forma possível”, disse Sharapova.

A número dois do mundo também entrou na polêmica e deu declarações sobre o saibro azul de Madri, que vem causando debates entre os tenistas que disputarão o torneio na capital espanhola.
Maria Sharapova se mostrou um tanto quanto receosa com a nova cor do piso em que será disputada a competição.

“A quadra é diferente, claro. Pelo quique da bola, por tudo que acontece ao seu redor. Mas todo torneio tem algo de diferente. Isso não faz parte da tradição do saibro, e temos a certeza de que a terra de Roland Garros nunca será azul, por exemplo. Temos que ver qual é a razão para a mudança. Se é por conta do show, ou alguma outra coisa. De qualquer forma é um grande torneio, mas gostaria que a quadra voltasse a sua cor original”, disse a russa.

Sharapova disse que deseja recuperar o topo do ranking feminino e deseja vencer mais um Grand Slam.
“As duas coisas me encantam, claro. Felizmente tive a oportunidade sentir na pele a sensação que essas duas situações causam. E seria muito mais feliz se conseguisse vencer mais torneios do Grand Slam, mas a principal é ser de novo número um do mundo, pois vejo essa possibilidade de perto e é parte do meu objetivo jogar como uma autêntica número um”, afirmou a ex-número um do mundo.

A atual número dois do ranking feminino aguarda com expectativa os Jogos Olímpicos, que serão disputados em Julho e Agosto.

“É especial, principalmente porque perdi os Jogos em Pequim devido a minha lesão no ombro, e fiquei muito triste por isso. Cresci com a ideia de participar dos Jogos Olímpicos porque faz parte da cultura esportiva russa. Nós gostamos de competir nesse evento, e desde jovem sempre sonhei em representar meu país. Existem muitas pessoas que não conseguiram isso, e o tênis vem se tornando cada vez mais popular na competição”, declarou Maria Sharapova.

Sharapova se disse ansiosa para fazer parte da equipe russa e se mostrou tranquila quanto a possível conquista de uma medalha em solo inglês.

“Ainda faltam algumas semanas, e o que quero é chegar muito bem preparada. Será disputada na grama, e se conquistar uma medalha será uma experiência incrível, mas se não conseguir, só o fato de fazer parte da equipe olímpica do meu país já terá sido uma das situações mais emocionantes neste ano”, encerrou ‘Masha’.

Sem mais artigos