Era uma segunda-feira à noite, a primeira da Copa do Mundo de 2014, mas parecia sábado. Pelo menos na Vila Madalena, tradicional bairro boêmio da cidade de São Paulo. Lotado de turistas de diversos países, que se misturavam entre brasileiros, o local, que na primeira semana do Mundial já ficou conhecido como ponto de encontro obrigatório dos estrangeiros, recebeu uma invasão de gringos sem ingressos na última segunda (16).

O dia era marcado pelos jogos entre Alemanha e Portugal, Nigéria e Irã e Estados Unidos e Gana, mas o que se via nas ruas, principalmente no cruzamento entre a Fradique Coutinho e a Aspicuelta, era algo que ia além dos torcedores e turistas dos países que entraram em campo pelo mundial.

Holandeses eram vistos em grande número nas ruas da Vila Madalena

Chilenos, colombianos, mexicanos, belgas, holandeses e espanhóis, todos sem entradas para o Mundial de 2014, eram vistos em meio aos sambas e grupos de brasileiros espalhados pelas ruas e bares da Vila Madalena. “O Brasil é único e a Copa do Mundo também. Viva o Brasil e viva o Chile”, disse Vicente Alvarado, de 30 anos, que veio ao Brasil, sem ingresso e local para ficar, só para acompanhar a seleção chilena durante o Mundial, mesmo que pela tv.

Apesar da festa global entre turistas na Vila Madalena, os americanos e os alemães roubaram a cena da segunda-feira atípica. Uniformizados, em grande número e ocupando a maior parte das mesas dos bares que transmitiam os jogos da Copa do Mundo, os torcedores de Alemanha e Estados Unidos puxaram a festa após as vitórias de ambas as seleções.

A festa era tão grande que, em um determinado momento da noite, por volta das 23h, era praticamente impossível transitar pelas ruas da Vila Madalena, tamanha a quantidade de pessoas no local. Como a maioria dos bares fecharam suas portas antes da meia-noite, a solução encontrada pelos brasileiros e estrangeiros era a festa a céu aberto.

Assista no vídeo abaixo um pouco da festa dos americanos:

<a href=”http://mais.uol.com.br/view/15080570″>Americanos fizeram a festa na Vila Madalena após a vitória dos EUA</a>

Sem mais artigos