O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al Khelaifi, garantiu que tem intenção de manter em seus cargos na próxima temporada tanto o diretor técnico, o brasileiro Leonardo, como o treinador, o italiano Carlo Ancelotti.

Khelaifi respondeu assim, em entrevista publicada neste sábado pelo jornal “Le Parisien”, os rumores que sua equipe estava sondando a possibilidade de contratar José Mourinho, do Real Madrid, ou Arsène Wenger, do Arsenal.

“Não sei como (Mourinho) está em relação com seu contrato, mas não é assunto meu. Respeito como treinador e como pessoa, assim como Arsène Wenger”, declarou.

Repetidamente, o presidente catariano do clube francês respondeu com um seco “sim” às questões sobre a permanência de Leonardo e Ancelotti.

“Tenho uma boa relação com ele (Leonardo). As pessoas acreditam que temos um problema. Não sei de onde sai isso, mas me faz rir muito”, comentou Khelaifi.

Em resposta às informações dos últimos dias sobre a intenção dos proprietários catarianos de demitir Leonardo, ressaltou: “A voz oficial do Catar sou eu. E todo mundo tem que entender que Leo faz trabalho muito bom”.

Em relação ao atual treinador, assinalou que continuará no final da temporada se quiser porque também “faz um trabalho excelente. Em algumas ocasiões foi difícil porque está sob pressão como em qualquer emprego, mas Carlo é um dos melhores treinadores do mundo, se não for o melhor”.

O presidente do PSG destacou que fará um balanço no final da temporada, mas lembrou que estão nas quartas de final da Copa da França e da Liga dos Campeões. “E estamos no topo do Campeonato Francês. O que mais podemos pedir?”

O dirigente também considerou que os meios de comunicação são “negativos” com sua equipe, “sempre buscando problemas”, e que foram “muito agressivos” com Leonardo.

Sem mais artigos