Fora da Eurocopa por ter que realizar uma cirurgia para a correção de uma lesão no joelho direito, que o afastará dos gramados por pelo menos seis semanas, o zagueiro Carles Puyol negou nesta quarta-feira que vá se aposentar da seleção espanhola por não poder disputar o torneio continental no mês que vem.

“Não sei se era minha última Eurocopa, mas se tenho uma coisa clara é que quero me aposentar no campo e não na sala de cirurgia”, destacou Puyol em entrevista coletiva, na qual afirmou que sua ideia é “continuar jogando por muitos anos”.

“Não digo nem que deixo a seleção nem que não a deixo. Agora, a prioridade é a operação e depois me recuperar bem. Então verei como estou e a partir daí ouvirei a opinião dos treinadores, pois não é só uma decisão minha. Na próxima temporada tomarei uma decisão”, explicou.

O Barcelona anunciou na terça-feira que o zagueiro será submetido no próximo sábado a uma artroscopia no joelho direito. Ele sentiu dores após a partida diante do Espanyol, no último sábado, pela penúltima rodada do Campeonato Espanhol. Além da Euro, o defensor ficará fora da final da Copa do Rei, no próximo dia 25.

“Tinha muita vontade de jogar minha partida de número 100 e ir à Eurocopa, mas isso já é passado, é algo que não posso controlar. Só me passa pela cabeça me recuperar e voltar 100%. Aí, se houver a chance de jogar essa partida, ficarei encantado”, comentou.

Capitão da seleção espanhola, o goleiro Iker Casillas lamentou a lesão de Puyol, dizendo que o zagueiro é importante não apenas dentro campo quanto no convívio em grupo. “Ontem (terça-feira), falei com ele, e ele estava chateado e triste, mas tem que entender que precisa parar. Desejo que ele tenha uma pronta melhora. Estou de acordo com (o técnico) Vicente Del Bosque, Puyol é uma baixa bastante delicada para a seleção”, declarou o camisa 1 da ‘Fúria’ e do Real Madrid.

Sem mais artigos