Real Madrid e Atlético de Madrid entrarão em campo nesta sexta-feira (17) para decidir a Copa do Rei da Espanha, no estádio Santiago Bernabéu, chance de conquista que se tornou “consolação” após as decepções nacionais e continentais das duas equipes da capital do país nesta temporada.

Esta é a primeira vez em 21 temporadas que dois times da mesma cidade decidem a competição. A última final local envolveu justamente os rivais madrilenhos. Em 1991/1992, no mesmo local do jogo de amanhã, o Atlético bateu o Real por 2 a 0, com gols de Bernd Schuster e Paulo Futre.

Matematicamente garantidos com o segundo e terceiro lugar do Campeonato Espanhol, Real e Atlético, respectivamente, viram o Barcelona levantar o caneco nacional com três rodadas de antecedência. O desempenho fez ambos garantirem vaga na próxima edição da Champions – com isso, o terceiro posto espanhol na próxima Liga Europa ficará com o sétimo do Espanhol.

Um dos quatro representantes espanhois na Liga dos Campeões deste ano, o Real Madrid viu as chances de conquistar seu 10º título acabarem diante do Borussia Dortmund, nas semifinais. Já o Atlético de Madrid, que defendia o título da Liga Europa, caiu precocemente, na fase 16 avos de final, diante do Rubin Kazan, da Rússia.

As duas equipes só conquistaram títulos no início da temporada, o os Merengues na Supercopa da Espanha, diante do Barcelona, e os Colchoneros na Supercopa da Europa, diante do Chelsea.

A partida poderá marcar ainda a “despedida” de José Mourinho, que segundo a imprensa espanhola deve deixar o Real no fim desta temporada. Apesar de ainda faltarem dois jogos no Espanhol, está seria a última oportunidade do português levantar um troféu comandando os merengues.

O time dos brasileiros Marcelo, Casemiro e Kaká tenta sua 19ª conquista na Copa do Rei. O maior campeão do torneio é o Barcelona, detentor do título, com 26 conquistas, seguido do Athletic Bilbao, com 23.

Para a partida de amanhã, o grande problema no Real é a ausência do zagueiro Raphael Varane, que está contundido. Em seu lugar, deverá atuar o espanhol Raúl Albiol, formando dupla de zaga com Sérgio Ramos, que se recuperou recentemente de contusão, assim como o meia alemão Mesut Özil.

Também já estavam para a partida Álvaro Arbeloa e Marcelo, que também por problemas físicos, darão lugar a Michael Essien e Fabio Coentrão. No setor ofensivo, todas as fichas continuam sendo colocadas no talento de Cristiano Ronaldo, grande estrela da equipe.

No Atlético, o técnico Diego Simeone vive situação bem diferente do rival, vendo na decisão da Copa do Rei a grande chance de afirmação de sua carreira. O argentino já tem o título da competição continental em seu cartel, além de uma classificação para a Champions.

A equipe tenta quebrar dois jejuns de uma vez só: os 17 anos sem vencer o torneio, e os 14 sem derrotar o rival local. O último resultado positivo sobre o Real aconteceu em 30 de outubro de 1999, quando os Colchoneros venceram por 3 a 1, no Santiago Bernabéu.

O Atlético de Madrid chega para a partida sem nenhum problema por lesão ou suspensão. Simeone ainda teve uma boa notícia que foi o retorno do meia Mario Suárez, recuperado de contusão. O espanhol treinou como titular durante a semana, na vaga que vinha sendo ocupada pelo português Tiago.

E se o Real tem Cristiano Ronaldo, Falcao García é a grande esperança de gols do Atlético, tendo ao seu lado Diego Costa – artilheiro da competição com sete gols. Além do atacante, que se profissionalizou na Europa, outros dois brasileiros defendem a equipe, o zagueiro Miranda e o lateral-esquerdo Filipe Luís.

Disputada por 83 equipes nesta temporada, a Copa do Rei é decidida em jogo único. Em caso de empate nos 90 primeiros minutos, a final irá para a prorrogação. Persistindo a igualdade, o campeão sairá após cobranças de pênaltis.

Sem mais artigos