Segundo o diário “Lance!”, a remoção dos dutos da Petrobrás que passam sob a construção do estádio do Corinthians, em Itaquera, sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, custará cerca de R$ 10 milhões aos cofres do clube.

Nesse valor, estão somados os R$ 7 milhões cobrados pela SACS, empreiteira que fará a recolocação dos tubos, R$ 150 mil em assistência prestada pela Transpetro e mais R$ 3 milhões dos novos tubos. 

Segundo Luis Paulo Rosenberg, diretor de Publicidade marketing do Corinthians, o gasto com a Transpetro se justifica, já que “tudo tem que sair absolutamente perfeito” e a execução da “obra é muito rápida, não passará de dois meses”. Ou seja, não irá interferir no andamento do restante do estádio.

Nome em 2012
Os gastos serão da ordem de R$ 820 milhões, sendo até R$ 420 milhões por meio de incentivos fiscais, e R$ 400 milhões via Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) usando um banco como intermediário e pagamento em até 15 anos, sendo três de carência. 

A ideia do clube é negociar o nome do estádio por ao menos R$ 400 milhões e usar este montante para quitar o débito, sendo que há oito empresas interessadas, de acordo com Rosemberg, interessadas no negócio.

Sem mais artigos