<p>A diretoria vasca&iacute;na confirmou o nome de Renato Ga&uacute;cho como &quot;novo&quot; t&eacute;cnico do time. O acordo chegou a ser amea&ccedil;ado por causa&nbsp; dos valores pedidos por ele, considerados altos demais pelos dirigentes, e o nome de Ren&ecirc; Sim&otilde;es foi cogitado, mas o pol&ecirc;mico&nbsp; ex-jogador mudou de id&eacute;ia, aceitou as condi&ccedil;&otilde;es e nesta sexta ser&aacute; apresentado e j&aacute; comandar&aacute; o primeiro treino de sua nova passagem pelo clube. Renato j&aacute; havia sido o treinador durante um ano e nove meses. Em 2006, foi vice-campe&atilde;o da Copa do Brasil de 2006 e sexto colocado do Campeonato Brasileiro; em abril de 2007, saiu, ap&oacute;s rusgas com Rom&aacute;rio.</p>
<p>&nbsp;</p>
<p>Al&eacute;m de Renato e Ren&ecirc;, tamb&eacute;m foi cogitada a contrata&ccedil;&atilde;o de PC Gusm&atilde;o, despedido h&aacute; pouco tempo do Figueirense. Renato &eacute; o quinto t&eacute;cnico em 2008 do time, que come&ccedil;ou o ano dirigido por Rom&aacute;rio. Quando o ent&atilde;o presidente Eurico Miranda imp&ocirc;s a escala&ccedil;&atilde;o de Allan Kardec, o Baixinho saiu e foi substitu&iacute;do por seu auxiliar, Alfredo Sampaio, que durou at&eacute; pouco antes da semifinal do Campeonato Carioca. Ant&ocirc;nio Lopes foi o seguinte e, ap&oacute;s a elimina&ccedil;&atilde;o da Copa do Brasil nas semifinais, nos p&ecirc;naltis, e m&aacute; campanha no Brasileiro, foi a vez de Tita, que pediu demiss&atilde;o na &uacute;ltima quarta, logo ap&oacute;s a derrota para o Palmeiras e mais uma elimina&ccedil;&atilde;o, agora da Copa Sul-Americana.</p>

Sem mais artigos