Campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior de 2010 ao lado de Lucas, Casemiro e Bruno Uvini, o volante Willian Arão, revelação do São Paulo e hoje atleta profissional do Corinthians, vive a expectativa de ser inscrito nas semifinais da Libertadores e poder enfrentar o Santos nos dois jogos decisivos pela competição continental. Em entrevista exclusiva ao Portal Virgula, o jovem de 20 anos afirma que foi pego de surpresa com a notícia.

“Fiquei sabendo hoje dessa possibilidade de entrar na lista da Libertadores. Um amigo me mandou uma mensagem e falou que estava em todos os jornais”, disse o atleta, que fez sua estreia com a camisa do Corinthians na vitória por 1 a 0, contra a Ponte Preta, no Pacaembu, ainda pelo Campeonato Paulista.

Como o Corinthians ainda pode fazer duas trocas na lista dos 25 jogadores inscritos e o volante Edenilson, com uma fratura no pé esquerdo, está fora da competição e terá que ser substituído, Willian Arão aparece como uma solução para o setor, uma vez que o time não possui um reserva imediato para os titulares Ralf e Paulinho.

Questionado sobre a responsabilidade de entrar no grupo da Libertadores, Willian garante que, apesar de não saber mensurar o tamanho da importância que isso significa para os torcedores, irá corresponder todas as expectativas que lhe for depositada.

“Rapaz, eu não tenho noção da dimensão que é essa Libertadores para os Corinthianos, pois é alto muito grande. Eu vejo pelos torcedores que cobram, e que tem a necessidade desse título. É uma coisa fora do comum essa paixão corinthiana, e isso me anima ainda mais”, afirmou.

Sobre sua saída do São Paulo, em 2011, o volante explicou que a decisão foi de comum acordo entre ambas as partes. “O meu contrato acabou e eles resolveram não renovar. Eu sou profissional e tenho que trabalhar. Fiquei um tempo no Espanyol, time da primeira divisão da Espanha, oito meses para ser mais exato, mas não cheguei a jogar por lá. Foi quando surgiu a chance de defender o Corinthians no fim do ano passado e topei na hora”, disse.

 

Um pouco desacostumado com o convívio ao lado de jogadores consagrados, Willian Arão se “assustou” com o tratamento dos companheiros de Corinthians. “Graças a deus esse grupo é espetacular, todo mundo brinca comigo e tenho o apoio de todo mundo. Eu não sei nos outros clubes, mas aqui no Corinthians é excepcional o nosso dia-a-dia. No primeiro jogo da Ponte, quando fiz minha estreia, o Chicão falou comigo, me orientou bem. Já na partida contra o Atlético-MG, foi a vez do Willian me apoiar. Podemos dizer que somos uma família”, contou o volante.

Mesmo sem a confirmação de sua inscrição, que, segundo a Conmebol, deverá ser feita até 48h antes do primeiro jogo, Willian Arão agradece o apoio do técnico Tite, com quem tem um bom relacionamento. “O professor é bem tranquilo. Ele trata todo muito de forma igual, isso é muito bom.  É um relacionamento semelhante com todos os jogadores, tranquilo e de respeito”, disse.

Vale lembrar que o Corinthians fez apenas uma troca até o momento na competição, tirando Adriano da lista e incluindo o zagueiro Marquinhos, de apenas 18 anos.

Sem mais artigos