Nesta quinta-feira, seguindo pedido do procurador da República Marcelo Feire, a Polícia Federal deve instaurar inquérito na Delegacia de Combate a Crimes Financeiros (Delefin) contra o presidente da Confederação Brasileira de Futebol e do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo, Ricardo Teixeira.

A investigação tem como objetivo identificar transferências econômicas ilegais e lavagem de dinheiro na década de 90 da falida empresa de marketing esportivo ISL que, à época, era dona das contas de diversas entidades, como a FIFA e vai ao encontro de denúncias feitas pela BBC, emissora de televisão da Inglaterra, que, em reportagem, apontou propina recebida por Teixeira (e outros), entre 1989 e 1999 via empresas estabelecidas em paraísos fiscais.

Ao fim do processo, o Ministério Público Federal pode formalizar denúncia contra o mandatário máximo da CBF.

Sem mais artigos