O momento foi de despedida no São Paulo. Em sua última entrevista coletiva pelo clube, Richarlyson se emocionou e falou sobre o preconceito que sofre por suspeitarem que é homossexual.

“Mesmo se eu fosse homossexual, isso não interferiria em campo”, afirmou o volante que defende o São Paulo há cinco anos, garantindo que não liga para críticas.

“E tão banal para mim falar de coisas fúteis, banais. Fico triste de não ter conquistado 100% dos torcedores do São Paulo, mas feliz de ter conquistado 99%. A pequena parcela de torcedores que não conquistei é como aquela nuvem chuvosa que passa, o que vai ficar marcado é aquele dia de sol. Nem Jesus agradou a todo mundo”, disse o jogador.

Para finalizar, o jogador comentou como foi sua relação com o São Paulo garantindo que nunca foi privado de nada.

“Em nenhum momento o São Paulo me privou de alguma coisa, de fazer o que eu eu quero, falar o que eu tenho direito. As pessoas têm que aceitar as outras do jeito que elas são. Principalmente na parte profissional, tem que ver o que é produzido dentro do trabalho, e não fora dele. Até porque eles não vivem comigo 24 horas por dia”, completou.

Richarlyson diz que se fosse gay não mudaria nada em campo

Sem mais artigos