O primeiro convidado do jornalista Jorge Kajuru em seu programa no “Esporte Interativo” foi o atual deputado federal Romário (PSB-RJ). Sem papas na língua, o ex-jogador revelou em segredo que mantinha desde a véspera para a Copa do Mundo de 2002, quando vivia a expectativa de ser convocado por Felipão, então técnico da seleção brasileira.

De acordo com Romário, após uma reunião com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, havia ficado acertado a sua participação no evento que levaria o Brasil ao pentacampeonato.

“Ele apertou minha mão e disse que eu iria à Copa (de 2002). Falei a ele que o treinador era o Felipão e ele respondeu ‘mas quem manda sou eu’”, disse Romário. “Mas ele ficou aborrecido porque achou que eu tinha combinado com a Globo para ela dar esse furo. No dia da convocação final ele disse para o Felipão ficar a vontade e fazer o que quisesse”, continuou.

Além disso, Romário falou sobre o seu futuro político e garantiu que não vê grandes chances de continuar na vida pública a longo prazo.

“Um mês atrás o Ancelmo Gois (colunista do jornal O Globo) disse que eu seria candidato à prefeitura do Rio pelo PSB. Fiquei surpreso com a repercussão. Para o ano que vem não existe esta possibilidade, pois não estaria preparado. E não me vejo na política em 2016″, disse.

Já no quadro onde o convidado de Kajuru deve dizer se coloca ou não a mão no fogo por algumas personalidades, Romário disse não confiar em Felipão, Ricardo Teixeira, CBF, Zagallo e Pelé. Em contrapartida, defendeu Zico, Dunga e o ex-presidente do Vasco Eurico Miranda.

Os melhores

Romário também foi convidado a fazer a sua lista dos 10 melhores jogadores da história do futebol. Sem falsa modéstia, o ex-atacante colocou a si próprio como o segundo melhor, perdendo apenas para Pelé. Sobre Maradona, disse “ter mais gols e mais títulos, portanto, depois do Pelé, fui eu”.

Veja a lista completa:
1 – Pelé
2 – Romário
3 – Maradona
4 – Ronaldo
5 – Ronaldinho
6 – Laudrup
7 – Rivelino
8 – Zidane
9 – Gérson
10 – Beckembauer

Sem mais artigos