Santos e Peñarol dão início nesta quarta-feira (15) à grande final da Taça Libertadores da América 2011. A primeira partida que ocorrerá no Estádio Centenário irá reeditar a final de 1962, quando as mesmas equipes se enfrentaram e o Peixe levou a melhor. Mais do que isso, será o tira-teima entre brasileiros e uruguaios nas finais deste torneio.

Até hoje, Brasil e Uruguai haviam se enfrentado quatro vezes na decisão da Libertadores, com duas vitórias para cada lado. O primeiro confronto ocorreu em 1961, quando o Palmeiras deixou o título escapar para o Peñarol depois de uma derrota por 1 a 0 no estádio Centenário e um empate em 1 a 1 no Pacaembu.

No ano seguinte, os brasileiros deram o troco. O Santos precisou de três jogos para bater o mesmo Peñarol, com Pelé marcando duas vezes nos 3 a 0 aplicados no campo neutro do estádio Monumental de Nuñes, na Argentina.

Depois disso, o reencontro entre brasileiros e uruguaios só voltou a ocorrer em 1980. Neste ano, o representante do país vizinho foi o Nacional, que levou a melhor em cima do Internacional de Porto Alegre. A vitória veio no estádio Centenário, com o único gol dos dois jogos marcado pelo artilheiro Victorino.

Três anos depois o troco foi dado pelo maior rival do Inter. Em jogos dois marcados pela violência, o Grêmio colocou as mãos na taça depois de vencer o Peñarol em casa por 2 a 1 – com Renato Gaúcho arrumando briga e sendo expulso nos últimos minutos do jogo.

Sem mais artigos