A bombástica entrevista em que o presidente palmeirense Arnaldo Tirone “fritou” a contratação do meia Valdivia gerou impacto até no São Paulo. Enquanto crticou as atuações do chileno e frisou mais uma vez suas saídas noturnas, o mandatário deixou escapar que, se pudesse, o trocaria com o atacante são-paulino Dagoberto.

A repercussão não demorou a chegar no Morumbi. Em resposta, a diretoria tricolor negou qualquer tipo de interesse no “Mago” e deixou clara a impossibilidade de existir uma troca envolvendo o artilheiro do time no ano. “Posso te afirmar que nunca houve qualquer contato pelo Valdivia. Não há nenhum interesse de nossa parte e não vamos liberar o Dagoberto”, afirmou o vice-presidente são-paulino Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Tirone, no entanto, foi para um caminho oposto em sua entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo. O presidente que assumiu o Palmeiras em 2011, na vaga de Luiz Gonzaga Belluzzo, garantiu que o São Paulo manifestou interesse em Valdivia no ano passado, antes de o Verdão trazê-lo de volta ao Palestra Itália.

Sem mais artigos