Os brasileiros Robert Scheidt e Bruno Prada ficaram em terceiro lugar na segunda regata da classe Star nesta sexta-feira – décima prova no total e última antes da ‘medal race’ – e garantiram pelo menos a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, mas viram as chances de conquistarem o ouro diminuir.

A dupla, que tem 26 pontos perdidos, manteve a segunda colocação na classificação geral. No entanto, os líderes e atuais campeões olímpicos, os britânicos Iain Percy e Andrew Simpson, venceram a segunda prova do dia e aumentaram a diferença para os brasileiros, que agora é de oito. Os suecos Fredrik Loof e Max Salminen, estão em terceiro, com 30 pontos.

A ‘medal race’, regata que reúne os dez primeiros velejadores e será disputada no domingo, pontua em dobro. Caso fiquem em último, Scheidt e Prada somariam 20 pontos e não poderiam ser ultrapassados pelos noruegueses Eivind Melleby e Petter Morland Pedersen, que estão em quarto, com 53.

Outros quatro barcos brasileiros disputaram provas hoje nas águas da baía de Weymouth.

Desclassificada na primeira regata, Adriana Kostiw chegou em 26º na segunda e é a 24ª no geral da classe Laser radial. Na Laser, Bruno Fontes chegou em 24º e 21º e ocupa a 14ª posição geral, tendo que superar quatro rivais nas regatas de amanhã para chegar à medal race de segunda-feira.

Na classe Finn, o jovem Jorginho Zarif, de 19 anos, encerrou sua primeira participação em Jogos na 20º posição, sem chegar à regata de disputa por medalhas. Na 470 feminina, que teve hoje suas duas primeiras etapas, Ana Barbachan e Fernanda Oliveira chegaram em 11º e 5º, e ocupam a sétima posição no total.

Scheidt e Prada garantem ao menos o bronze, mas ficam longe do ouro na Star

Sem mais artigos