A grande fase vivida pelo Atlético-PR no Campeonato Brasileiro – terceiro colocado com 30 pontos, um a menos que os líderes Grêmio e Cruzeiro – se restringe ao futebol apresentado dentro das quatro linhas. Fora de campo, o Furacão passa por um momento financeiro complicado por conta da ausência da Arena da Baixada, estádio que está sendo reformado e receberá quatro partidas da Copa do Mundo de 2014.

Principal fonte de renda do clube desde 1999, quando foi construída, a Arena da Baixada está fechada para jogos do Atlético-PR desde janeiro de 2012 e distância do seu estádio tem deixado as contas do clube em baixa. Tanto é verdade que uma nota oficial foi divulgada no site do Furacão para mostrar ao torcedor paranaese que o clube ‘está pagando para jogar’.

Em um documento de borderô do último jogo como mandante pelo Brasileirão, diante do Botafogo, no último dia 25 de agosto, o Atlético-PR mostra (veja na imagem abaixo) tudo o que foi gasto para realizar a partida da Vila Capanema, que registrou o recorde de público do time no estádio do Paraná (quase 14 mil pessoas).

Mesmo com um número expressivo de torcedores apoiando o time, o total de despesas com aluguel de campo e taxa de iluminação (R$114.238,84) foi superior ao arrecadado com a receita de venda de ingressos (R$75.800,00), deixando assim um deficit de R$38.438,84 para os cofres do Atlético-PR.

Prevista para ficar pronta em dezembro deste ano, a nova Arena da Baixada contará com uma capacidade total de 41.482 cadeiras nos padrões da FIFA e 42.372 cadeiras no modo legado. Por conta do atraso nas obras, o teto retrátil, que estava no planejamento inicial do novo estádio, só será instalado depois do mundial entre seleções.

Veja abaixo na íntegra a nota divulgada pelo Atlético-PR:

Atuar fora da Arena tem representado um esforço muito grande para o Clube Atlético Paranaense. E o sacrifício não é somente dos torcedores, que não contam com toda a estrutura e conforto que estavam acostumados em nosso estádio. Há um ano e oito meses, o fato de não atuar na Arena tem representado um grande impacto financeiro aos cofres do clube.

Como exemplo, o último jogo do Campeonato Brasileiro na Vila Capanema, contra o Botafogo, foi registrado um público recorde desde que o CAP começou a mandar suas partidas fora da Arena. O público total foi de 13.202 pessoas, tendo sido 12.124 pagantes. Quando anunciados esses números nos alto-falantes da Vila Capanema, a torcida atleticana chegou a aplaudir o recorde de público. Mas, infelizmente, não temos o que comemorar em termos financeiros. A nossa comemoração deve ser restrita à vitória expressiva em campo e ao apoio da torcida.

Sem mais artigos