O mau tempo no Peru, local onde ocorre o Campeonato Sul-Americano sub-20, forçou o técnico Mano Menezes a fica preso no país e não embarcar no voo que o levaria para o Rio de Janeiro nesta terça-feira. Por conta da ausência do comandante canarinho, a CBF cancelou a festa de apresentação das novas camisas da Seleção Brasileira, que seria realizada no Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

A estrutura preparada para a cerimônia tinha direito até à presença de 20 crianças do Instituto Bola Pra Frente, projeto social de Jorginho, ex-jogador e auxiliar técnico da Seleção. Por conta da ansiedade em torno do evento, o diretor de marketing da Nike, Thiago Pinto, foi obrigado a apresentar as novas camisas de forma informal. Os modelos, que valorizam o “espírito guerreiro” do Brasil, já serão usados no amistoso de 9 de fevereiro contra a França, em Paris.

Expostos no salão principal do museu, os uniformes do Brasil surpreendem pelo detalhe do “canarinho” na parte interna do “manto”. Como já havia sido apresentada anteriormente, a camisa tem faixas na altura do peito (verde no modelo amarelo e amarelo no modelo azul). 

“A listra se refere aos nossos ancestrais, que pintavam uma faixa no corpo como forma de proteção antes de cada batalha. Já o canarinho remete a uma forma como a nossa Seleção é conhecida”, frisou Thiago Pinto.

Sem mais artigos