O Senado cancelou nesta terça-feira a audiência que havia programado para a quarta-feira da próxima semana para ouvir o presidente da Fifa, Joseph Blatter, sobre a Copa do Mundo de 2014, depois que o dirigente suíço ter anunciado que não compareceria e enviaria como representante o secretário da entidade, Jérôme Valcke.

“Não aceitamos o porteiro da Fifa. O requerimento aprovado foi para receber Blatter, e não esse bedel da Fifa. Se depender de mim, ele receberá um pontapé em suas redondas abundâncias”, disse aos jornalistas o presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes do Senado, senador Roberto Requião, fazendo referência à declaração de Valcke dizendo que o Brasil precisava de “um pontapé no traseiro” para acelerar os preparativos para o Mundial.

Na época da polêmica frase do secretário-geral, o Governo o rejeitou como interlocutor da Fifa, mas um pedido de desculpas e uma visita de Blatter a Brasília no último mês, na qual se reuniu com a presidente Dilma Rousseff aparentemente ajudaram a superar a crise. No entanto, as declarações continuam ecoando no Congresso.

A nova polêmica acontece exatamente na semana em que o projeto da chamada Lei Geral da Copa, que regulamenta tudo o que se refere ao evento de 2014, começou a ser debatido no Senado após ter sido aprovado na Câmara.

O projeto, que inclui assuntos polêmicos como a venda de bebidas alcoólicos nos estádios e os acordos comerciais preferenciais para a Fifa, foi enviado a três comissões do Senado, incluindo a de Educação, Cultura e Esportes.

“A comissão já havia aprovado na última semana um convite para ouvir Blatter sobre a lei no próximo dia 11, mas o dirigente afirmou que, por dificuldades na agenda, enviaria Valcke em seu lugar”, afirmou à Agência Efe o secretário da comissão, Júlio Linhares.

Segundo Linhares, diante da ausência de Blatter e como a Fifa terá que ser ouvida nas três comissões, a Comissão de Educação, Cultura e Esportes preferiu cancelar a audiência com Valcke e enviar um novo convite para que Blatter possa ser escutado por todos em outro dia.

“A audiência da próxima semana foi cancelada, e o convite a Blatter foi reiterado. A data da reunião dependerá da disponibilidade do presidente da Fifa”, acrescentou o secretário, após esclarecer que, pelo menos na reunião da comissão, ninguém descartou oficialmente Valcke como interlocutor da entidade máxima do futebol.

O secretário-geral da Fifa já tinha anunciado na segunda-feira a intenção de participar da audiência no Senado da próxima semana, naquela que seria sua primeira visita ao país após a polêmica que protagonizou com o Governo.

Sem mais artigos