Atual sexta colocada do ranking da WTA, a americana Serena Williams, que nesta quinta-feira conquistou uma vaga na final do torneio de tênis de Wimbledon, externou sua felicidade por ter voltado a jogar bem e disse que deseja voltar a ser a número 1 do mundo.

Nesta quinta-feira, Serena derrotou a segunda cabeça de chave da competição, a bielorrussa Victoria Azarenka, por 2 sets a 0, com parciais de 6-3 e 7-6(6).

“Voltar e jogar tão bem é fantástico”, afirmou a americana, que depois de derrotar Azarenka voltou à quadra para se classificar para as semifinais do torneio de duplas jogando ao lado da irmã Venus.

Quanto a sua posição no ranking, Serena não descartou voltar ao topo e encerrar a temporada no topo da lista, que ocupou nos anos de 2002 e 2009. “Eu ainda estou chegando, mas acabarei lá”.

A tenista de 30 anos, que perdeu apenas dois sets no percurso até a final do terceiro Grand Slam do ano, se mostrou cautelosa sobre suas possibilidades de ser pentacampeã na grama sagrada.

“É uma final de Wimbledon, não sei outra forma de vencer sem jogar da melhor forma possível. Mas ela (Radwanska) foi mais consistente que eu neste ano, portanto terei que jogar muito”, comentou.

A americana enfrentou Radwanska apenas duas vezes, ambas em 2008, e em ambas as ocasiões saiu vencedora. A primeira foi nas oitavas de final do torneio de Berlim, disputado no saibro, e a segunda justamente em Wimbledon, nas quartas de final.

Serena sofreu uma embolia pulmonar em 2011, problema que a afastou durante vários meses das quadras, mas recuperou seu melhor jogo a partir do US Open do ano passado, quando foi finalista e perdeu para a australiana Samantha Stosur. Ela tem 41 títulos na carreira, 13 de Grand Slams.

Serena Williams diz que quer voltar a ser número 1 do mundo

Sem mais artigos