O jornal <i>Folha de São Paulo</i> publicou uma matéria com o panorama para as obras programadas em estádios-sede da Copa do Mundo a ser realizada no Brasil em 2014, afirmando que três quartos dos estádios escolhidos não conseguirão cumprir os prazos estipulados pela FIFA.

A entidade máxima do futebol internacional estipulou no final do ano passado que todas as arenas deveriam ter suas reformas iniciadas no mês de março, mas sete das doze sedes da Copa não estarão preparadas para as reformas dentro do tempo previsto.

São elas a Arena das Dunas (RN), a Arena Recife (PE), Castelão (CE), O Vivaldão (AM), o Mané Garricha (DF), o Verdão (MT) e o maior estádio do Brasil, o Maracanã. Das sete, as três primeiras ainda não tem sequer editais definidos para a licitação das obras.

As arenas que estão com obras previstas para acontecerem dentro do prazo são o Mineirão (MG) e a Fonte Nova (BR), além de Arena da Baixada (PR), Beira-Rio (RS) e Morumbi (SP), que já tiveram suas obras iniciadas.

O Comitê Organizador Local, entidade responsável pelas fiscalizações da organização do evento, recebe informes das arenas de 15 em 15 dias, mas entendeu que ainda não é hora de cobrar os estádios sobre o assunto.

Sem mais artigos