O ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi foi nomeado presidente de honra do Milan nesta quinta-feira e, na prática, volta a ser o homem forte do clube, já que oficialmente ninguém ocupava a presidência desde que o empresário assumiu o terceiro mandato como premiê.

Berlusconi é proprietário do Milan através do grupo empresarial Fininvest, que pertence à família do dirigente.

O empresário precisou deixar a presidência do clube por ser chefe do Executivo italiano, cargo do qual esteve à frente entre 2008 e 2011. De acordo com as leis do país, ele não poderia ocupar posto e também dirigir companhias ou se manter envolvido com atividades empresariais com fins lucrativos, como o Milan.

A renúncia do cargo de primeiro-ministro aconteceu em meio a uma crise financeira que assolava o país, em novembro de 2011. Dois dias após apresentar sua demissão, Berlusconi anunciou que pretendia retornar ao comando do clube de Milão. Além disso, o empresário continua como líder do partido político Povo da Liberdade (PDL) e no cargo de deputado.

Abaixo de Berlusconi no organograma do Milan, estarão o vice-presidente e executivo-chefe do clube, Adriano Galliani, e o irmão de Silvio, Paulo, que também é vice-presidente.

Sem mais artigos