Após três anos tentando, o Sollys/Nestlé finalmente se tornou campeão do Mundial de Clubes. Nesta sexta-feira (19), o clube bateu o Rabita Baku, do Azerbaijão, por 3 a 0 e faturou o título inédito para o time paulista.

Diferente do que aconteceu na primeira fase, quando o time paulista bateu o rival por 3 a 1 após vacilo no primeiro set, o Sollys/Nestlé entrou focado e sem dar chance para o adversário, garantindo a vitória sem perder sets, com parciais de 25 a 16, 25 a 14 e 25 a 17.

O grande destaque do jogo foi a ponteira Sheilla, que chegou ao clube nesta temporada. A atleta fez 15 pontos, a maior pontuadora do duelo. Thaisa, com 14, também foi bem.

Além do ouro para o Sollys/Nestlé e a prata para o Rabita Baku, o Fernerbahçe, da Turquia, completou o pódio com o bronze.

Com esse resultado, o Sollys/Nestlé se junta ao Sadia/São Paulo e Leite Moça/Sorocaba como únicos campeões do Mundial feminino. Enquanto o primeiro clube foi campeão em 1991, o segundo faturou o título em 1994.

O torneio foi disputado apenas seis vezes, nos anos de 1991, 1992, 1994, 2010, 2011 e 2012. Além das brasileiras, a lista de campeões conta com o Messaggero Ravenna, da Itália, do Fenerbahçe, da Turquia, e do Rabita Baku, do Azerbaijão, que era o atual detentor do título.

Em seu “currículo”, o Sollys/Nestle já contava com uma medalha de prata de 2010, quando perdeu a decisão para o Fenerbahçe, e um bronze do ano passado, quando venceu o Mirador, de Porto Rico, na disputa de terceiro e quarto.

Sem mais artigos