Como será que Willian, titular do Chelsea, se sentiu ao assistir às cenas lamentáveis de racismo da sua própria torcida?

Como será que Willian, titular do Chelsea, se sentiu ao assistir às cenas lamentáveis de racismo da sua própria torcida?

Infelizmente aqui estamos novamente falando sobre racismo e futebol. Isso tudo após um jogaço de bola entre Chelsea e Paris Saint-Germain, válido pela Champions League. Porém não podemos deixar essa história passar batida e ignorar essa mancha que ocorreu no metrô parisiense na noite da última terça-feira (18).

A partida terminou 1 a 1, com gols de Ivanovic (36′) e Cavani (56′). Após o fim da partida, a torcida do Chelsea teve que aguardar o estádio ser esvaziado para poder ir embora, esquema parecido com o que acontece com os clássicos no Brasil, justamente para tentar evitar que torcedores imbecis causem confusão. Mas sabe como é: quem quer fazer besteira sempre arranja um jeito. E foi aí que aconteceu o episódio lamentável que felizmente foi gravado, assim os responsáveis serão punidos.

Com o metrô lotado de torcedores do Chelsea, um passageiro negro tenta embarcar em um vagão é imediatamente empurrado para fora. Ele tenta novamente, e mais uma vez é empurrado. Obviamente ele não reage, já que os torcedores se juntaram e começaram a imitar o som de um macaco – o que infelizmente é comum nos estádios europeus. Foi aí que o que parecia não poder piorar, piorou. Todos os vagões começaram a cantar juntos: “Somos racistas e é assim que nós gostamos”. Sim, isso ainda ocorre em 2015, século 21, e sempre ocorreu. Assista ao vídeo:

Torcedores do Chelsea impedem a entrada de negro no metrô

Imediatamente o vídeo viralizou e felizmente todos repudiaram a atitude irracional desses torcedores. “Tal comportamento é abominável e não tem lugar no futebol ou na sociedade. Vamos apoiar qualquer ação criminal contra os envolvidos em tal comportamento e, em caso de prova contra sócios-torcedores do clube, o clube tomará as mais severas atitudes possíveis contra eles, incluindo o banimento”, afirmou o Chelsea em nota oficial. A Federação Inglesa reiterou as palavras dos Blues e condenou a ação como “abominável”.

Vale lembre que os dois titulares brasileiros do Chelsea são negros: Willian e Ramires. Além disso, um dos maiores ídolos e principal atacante do Chelsea nos últimos anos é africano e de pele escura, Didier Drogba. Como será que todos os jogadores negros do Chelsea se sentiram quando viram o comportamento da própria torcida?

Fora isso, a torcida do Chelsea é conhecida na própria Inglaterra por ser racista e antissemita. Toda vez que o Chelsea enfrenta o Tottenham Spurs, time de origem judaica, a torcida dos Blues canta “Adolf Hitler, he’s coming for you” (“Adolf Hitler, ele vai te pegar” em tradução livre), além de outros vários episódios contra jogadores negros do próprio time.

A única maneira dessas atitudes acabarem é por meio de punições muito mais severas do que as que acontecem hoje em dia. Nos últimos 10 anos, apesar dos inúmeros episódios lamentáveis de racismo nas ligas inglesas, inclusive com a fama justificada da torcida do Chelsea, apenas 174 pessoas foram banidas dos estádios – os ‘líderes’ são o West Ham com 24 banidos e os próprios Blues, com apenas 19.

Sem mais artigos