Os argentinos caçoaram do choro dos brasileiros após a classificação nos pênaltis contra o Chile, nas oitavas de final da Copa do Mundo, e, principalmente, após os 7 a 1 contra a Alemanha, nas semifinais. O que eles não esperavam era que Diego Maradona, o maior ídolo esportivo do país, também fosse às lágrimas com a continuidade do jejum argentino sem títulos mundiais. A revelação do pranto do ex-camisa 10 foi feita búlgaro Hristo Stoichkov, que o encontrou após a final do Maracanã.

“Chorei duas vezes este dia, não tenho vergonha de dizer. A primeira foi quando os meus colegas de Univisión (emissora de TV para a qual ele comentou o Mundial) me deram uma bola dourada. A segunda foi ao me despedir de Maradona, que estava muito triste com a derrota argentina. Os olhos dos dois se encheram de lágrimas”, revelou o ex-jogador, em entrevista ao jornal búlgaro Trud.

Ídolo do Barcelona e um dos artilheiros da Copa do Mundo de 1994, disputada nos Estados Unidos, Stoichkov fez questão de elogiar a seleção alemã, desempenho do goleiro Manuel Neuer, que compensou os pontos fracos da defesa germânica, e também criticar de forma pesada os times de Brasil e Argentina.

“Os brasileiros não tinham líderes que ditassem o samba como estávamos acostumados. Nem Brasil e nem Argentina possuem uma geração adequada e, por isso, aposto em anos difíceis para estes grandes da América do Sul”, completou.

Sem mais artigos