Flagrado no exame antidoping, Alistair Overeem, que seria o próximo adversário de Junior Cigano, tinha “apenas” 14 vezes a mais do nível de epitestosterona na urina do que o encontrado em um ser humano comum. A notícia foi divulgada pela Comissão Atlética de Nevada nesta quinta-feira (5).

Agora, o holandês tem direito a pedir uma contraprova, mas em caso de novo resultado positivo, ele será suspenso e não poderá buscar o cinturão dos pesados no dia 26 de maio.

De acordo com o site “MMA Fighting”, o diretor-executivo da Comissão Atlética de Nevada, Keith Kizer, disse que a Associação Mundial Antidoping (WADA) tolera até quatro vezes acima do normal. Já a comissão aceita até seis vezes.

Apesar disso, Overeem não pode ser punido pela Comissão Atlética de Nevada, pois é holandês. Mas, ele pode ficar sem a licença para lutar em sua jurisdição, como em Las Vegas.

A substância encontrada serve como um agente mascarante e metabólico biolófico da testosterona, que serve para equilibrar a quantidade de hormônio masculino produzido pelo organismo.

Essa não é a primeira vez que o lutador tem problemas com exame antidoping. No fim de 2011, um resultado não conclusivo teve de ser refeito antes do combate contra Brock Lesnar. Mas, na ocasião, nada foi encontrado de ilegal no segundo teste.

Sem mais artigos