Os quatro gols marcados ontem à noite pelo atacante Ibrahimovic, do Paris Saint-Germain e da seleção sueca, no amistoso contra a Inglaterra (4-2), que inaugurou o novo estádio Friends Arena em Estocolmo, geraram uma verdadeira enchente de elogios na Suécia após sua imponente atuação.

O jornal “Expressen”, por exemplo, estampa na capa de seu suplemento de esportes um termo que se generalizou em todo país: “Ibracadabra”, em alusão à incrível bicicleta de fora da área que deu origem ao quarto gol do atacante. No título, o jornal ainda brinca com a inauguração do estádio: “Hoje foi inaugurado o Zlatan (primeiro nome do jogador) Arena”.

Em geral, os cronistas suecos não poupam elogios a Ibrahimovic, um jogador “vindo de outro planeta”, que se encontra no “Olimpo do futebol” e após “calar a imprensa inglesa”, habitualmente muito crítica com o rendimento do atacante sueco.

“Um gol como aquele último eu acho que não voltarei a ver na vida”, declarou o treinador sueco, Erik Hamrén, ao falar do acrobático arremate de Ibrahimovic, que mais parecia um dos golpes que o mesmo treinava nas aulas de taekwondo durante a infância.

Seus companheiros de seleção se referiram ao gol como “irreal” e “loucura”, em palavras do goleiro Isaksson e do meio-campo Kacaniklic, respectivamente, enquanto o atacante Mathias Ranégie exaltou que contará aos seus netos quando ficar velho. O zagueiro Jonas Olsson, por sua vez, preferiu comparar “Ibra” com Messi e Ronaldo.

O gol do atacante sueco virou um assunto de destaque internacional apenas um dia antes da Fifa ter divulgado a lista dos dez candidatos ao prêmio Puskas de melhor gol do ano, a qual não inclui Ibrahimovic, que também marcou um gol memorável contra a França na última Eurocopa.

“Sou de fazer gols lindos com frequência, portanto não vamos dizer que foi sorte”, afirmou a estrela sueca ao falar de seu próprio gol, embora tenha dito ter se sentido mais feliz pelo seu primeiro gol na partida, o primeiro gol marcado na história do Friends Arena.

Aos 31 anos, “Ibra” atravessa um bom momento, inclusive na seleção, onde durante anos não conseguiu repetir o mesmo rendimento que apresentava em seus clubes. No entanto, sua situação começou mudar após a chegada do treinador Hamrén, que aposta em um estilo mais alegre e lhe deu total liberdade para se movimentar, além da faixa de capitão.

“Ibra” respondeu a confiança do treinador com dedicação e marcando gols em oito das últimas 11 partidas com a seleção. Com os quatro de ontem, o atacante agora possui 39 gols em 85 partidas, superando o mítico “Henke” Larsson e com apenas dois à frente: Gunnar Nordahl, com 43, e Sven Rydell, com 49.

“Quero fazer esses gols. Tenho na cabeça que quero ser o maior artilheiro da seleção sueca”, finalizou Ibrahimovic, que espera aproveitar sua boa fase para levar a Suécia à Copa de 2014.

Sem mais artigos