De grande surpresa da Copa do Mundo de 2010 a incerteza nas eliminatórias para o Mundial do Brasil, a seleção do Uruguai seguirá insistindo nos atletas veteranos nas próximas competições. Pelo menos foi o que garantiu o treinador da Celeste Olímpica, Oscar Tabárez, durante a conferência dos técnicos das equipes que disputarão a Copa das Confederações realizada nesta sexta-feira (30), no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

“Eu continuou confiando nos meus jogadores. Não acredito em soluções mágicas quando um atleta não está bem ou que tenhamos que decretar que ele não pode jogar mais. Existem poucos futebolistas no nosso país, temos uma população menor que a de um bairro de São Paulo. Então não podemos nos desfazer de jogadores. Quanto mais podermos incorporar melhor”, afirmou o técnico, que esteve ao lado de José Manuel de la Torre, do México, e Vicente Del Bosque, da Espanha.

Quarta colocada no Mundial da África do Sul e atual campeã da Copa América, o time de Lugano, Forlán e Cavani tem média de idade superior a 30 anos. Mas, apesar disso, Tabárez acredita que os problemas uruguaios são outros.

“Nos últimos dois meses tivemos péssimos resultados, levamos muitos gols, não jogamos bem. Porém, não achamos que tivemos uma queda definitiva. Um futuro próximo vai nos dizer. Temos a expectativa de que podemos ir a Copa do Mundo. Não temos a certeza disso, porque há grandes equipes no continente. Mas temos expectativa”, finalizou.

Vale lembrar que atualmente a seleção uruguaia ocupa a quinta posição das eliminatórias sul-americanas, com 12 pontos, empatada com Venezuela e Chile. Se o torneio acabasse hoje, a celeste estaria garantida no Mundial.

Sem mais artigos