Em entrevista concedida à Rádio Bandeirantes na tarde deste sábado, o presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, confirmou que não será candidato a reeleição no Palmeiras. Com o pleito marcado para o dia 21 de janeiro, o dirigente apontou o desgaste da temporada como principal motivo da desistência.

“Não serei candidato. Nesse momento assino pra você que minha motivação é zero. Tenho que entender que o momento foi ruim no fim do ano. Na conquista da Copa do Brasil todos disseram que eu estava reeleito. Porém, com o rebaixamento, perdemos a guerra no Campeonato Brasileiro e tive que recuar. E recuei para o bem do Palmeiras”, disse Tirone.

Sobre o tempo que ainda tem no comando do Palmeiras, Tirone planeja uma última cartada para ajudar o time para a temporada do ano que vem. “Serão mais 20 dias de mandato e nesses que ainda restam podem acontecer algumas contratações ou não. Vai depender da viabilização financeira”, disse.

Sobre Gilson Kleina, Tirone aposta na permanência do treinador e revela reunião com técnico já para os primeiros dias de 2013. “O Gilson deve permanecerá no comando, na minha opinião. Dia 2 estarei com ele e vamos analisar o que é melhor para o clube. Tenho que ter o entendimento que terei só mais 20 dais de mandato e conversarei com os presidenciáveis para ajudar o máximo possível no planejamento”, finalizou.

Com isso, Paulo Nobre e Décio Perin aparecem como os candidatos fortes para assumirem o Palmeiras após o pleito marcado para o dia 21 de janeiro.

 

Sem mais artigos