A tocha paraolímpica foi acesa na noite da última terça-feira (28) em Stoke Mandeville, sudeste da Inglaterra, pouco antes do fim de seu revezamento, que será encerrado nesta quarta-feira no Estádio Olímpico de Stratford, com a abertura dos Jogos.

Na cerimônia, realizada no estádio onde em 1948 ocorreram os primeiros Jogos Paraolímpicos da história, dois atletas e outras seis pessoas foram escolhidas pelos diferentes patrocinadores para revezar a posse da chama nas próximas 24 horas.

A tocha foi criada através do fogo de quatro chamas diferentes localizadas em Londres, Belfast, Edimburgo e Cardiff, nos dias 24, 25, 26 e 27, respectivamente.

A cerimônia desta terça contou com mais de 3 mil convidados, entre eles o do presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Londres (Locog), Sebastian Coe, o ministro de Cultura e Esportes britânico, Jeremy Hunt, e o presidente do Comitê paralímpico Internacional (TPI), Philip Craven.

“A criação da chama paraolímpica marca o início de um revezamento único de 24 horas, onde várias equipes iluminarão o caminho rumo aos Jogos, que serão fantásticos. Todos os que irão revezar demonstrarão valores como determinação, coragem, inspiração e a igualdade”, afirmou Coe na cerimônia.

Pouco depois de a tocha ser acesa, os atletas paralímpicos britânicos passarão por alguns dos lugares mais representativos de Londres, como o Piccadilly Circus, o cruzamento da Abbey Road, capa de um álbum dos Beatles, e a ponte da Torre de Londres.

A rota da tocha será encerrada no Estádio Olímpico de Stratford com a cerimônia de abertura, que tem o nome de “Enlightenment” (“Iluminação”) e foi desenvolvida por Bradley Hemmings e Jenny Sealey.

Tocha paraolímpica é acesa na Inglaterra

Sem mais artigos