O número de vítimas da violenta batalha ocorrida no domingo entre membros de torcidas organizadas de Corinthians e Palmeiras subiu nesta terça-feira para dois depois que um boletim médico confirmou a morte cerebral de um dos feridos, Guilherme Vinicius Moreira, de 19 anos.

O jovem, integrante da Mancha Alviverde, tinha sido internado no Hospital São Camilo com traumatismo craniano. O anúncio da morte cerebral aconteceu simultaneamente com uma operação policial realizada em diversas sedes de organizadas dos dois clubes, nas quais houve detenções de dirigentes e apreensões de discos rígidos de computador.

“Foi uma operação que mobilizou vários policiais em sete locais diferentes. Realizamos algumas detenções provisórias”, disse a delegada Margarete Barreto.

A Federação Paulista de Futebol havia anunciado ontem sua decisão de proibir a entrada nos estádios paulistas dos integrantes da Mancha Alviverde e da Gaviões da Fiel.

A proibição valerá “até que sejam esclarecidos os fatos e penalizados os responsáveis” pelos incidentes do último domingo, quando cerca de 300 membros dos dois grupos rivais, portando armas de fogo, pedras, barras de ferro e de madeira se enfrentaram pouco antes do clássico entre os times pelo Campeonato Paulista.

Na briga, o jovem André Alves, torcedor do Palmeiras, morreu com um disparo na cabeça, e outras sete pessoas, entre as quais Moreira, ficaram feridas. 

Sem mais artigos