O UFC 126 tem tudo para ser um dos mais lembrados dos últimos tempos. E não é apenas pela luta principal, que está sendo chamada de “a luta do século” e envolve o campeão dos pesos médios Anderson Silva e o “Fenômeno” Vitor Belfort. Os outros combates do card também chamam a atenção pela possibilidade de grandes duelos.

Apenas no card principal, dois ex-campeões do UFC fazem o co-main event da noite, a segunda luta mais importante. Os americanos Forrest Griffin e Rich Franklin farão a luta que os admiradores de MMA – principalmente os norte-americanos – esperam há muito tempo.

Griffin foi o vencedor da primeira edição do TUF, o reality show do Ultimate Fighting Championship, e chegou vestir o cinturão da categoria meio-pesado ao vencer Rampage Jackson. Enquanto isso, Frankiln levou o titulo dos médios e só deixou escapar quando perdeu para Anderson Silva, o atual detentor do cinturão da categoria.

Jon Jones e Ryan Bader fazem o confronto dos mais promissores lutadores do UFC. O primeiro já é visto como um postulante ao título dos meio-pesados e possui um cartel de 11 vitórias e uma derrota (ocorrida por sequência de golpes ilegais contra Matt Hamill, na final do TUF número 10).

O segundo, por sua vez, conseguiu o título da oitava edição do TUF e tem um cartel de 12 triunfos e nenhuma luta perdida.

Brasil no octógono

De qualquer forma, nada se compara a expectativa que traz a luta entre Anderson Silva e Vitor Belfort. O Aranha, como é conhecido Anderson, já colocou o cinturão dos médios em jogo sete vezes, vencendo todas. O brasileiro foi responsável por lutas memoráveis, incluindo o último combate contra o norte-americano Chael Sonnen.

Anderson estava perdendo durante toda a luta e, no último round, conseguiu encaixar uma chave de perna espetacular e finalizou o “falador” gringo. 

Belfort, por sua vez, ganhou o apelido de Fenômeno desde os 19 anos, quando se tornou o mais jovem lutador da história a vencer no UFC. No único evento de Ultimate Fighting Competition já realizado no Brasil, Belfort entrou para história ao derrotar o futuro campeão do Pride, Wanderlei Silva, com um nocaute em apenas 44 segundos de luta.

Vitor Belfort chegou a ser campeão na categoria meio-pesado ao derrotar o respeitado Randy Couture, em 2004.

Sem mais artigos