O UFC, maior evento de MMA do mundo, anunciou neste sábado a compra do Strikeforce, seu maior concorrente dentro do mundo das lutas marciais mistas. O próprio presidente do UFC, Dana White, fez questão falar sobre o negócio.

“Estamos crescendo em todo o mundo e precisamos de mais lutas. Vamos admitir: o Strikeforce é uma marca que os fãs começaram a gostar e seguir, então fez sentido para nós (comprar o evento). Nosso trabalho é colocar as lutas que os fãs querem ver”, disse Dana ao site ‘MMA Fighting’.

Com a aquisição, o medo do monopólio dentro do esporte ficou evidente entre os admiradores de lutas. Entretanto, o presidente afirmou que os dois eventos continuarão independentes por enquanto.

“O Strikeforce vai continuar a executar seu negócio normalmente. Há contratos em vigor, e estes caras estão no Showtime (TV americana). O evento dá uma boa audiência para eles. Todos os contratos serão honrados. Esses caras vão permanecer lutadores Strikeforce” afirmou.

Porém, agora as duas organizações estão sob comando da Zuffa – empresa de Dana White e dos irmãos Fertitta.

O UFC já havia feito algo semelhante em 2007, quando o extinto Pride foi adquirido.

Sem mais artigos