Segundo o ministro dos Esportes da África do Sul, Makhenkesi Stofile, os organizadores da Copa do Mundo no país tiveram que reduzir as previsões de venda de ingressos para o Mundial devido à crise econômica internacional.

“Imagino que todo mundo deve estar inquieto porque as entradas não estão sendo vendidas no ritmo que estava previsto” disse o ministro Stofile. “Quando nos atribuíram a organização da Copa de 2014, a situação econômica era completamente diferente, teremos que revisar nossas previsões e sermos mais realistas”, completou.

Até o mês passado, cerca de dois terços dos dois milhões de ingressos tinham sido comercializados para o evento, que está marcado para acontecer entre 11 de junho e 11 de julho.

A crise já complica as vendas desde o início do ano, tanto que no mês passado a Fifa teve que aumentar o número de entradas a baixo preço para atrair mais sul-africanos.
 
“Estamos diante de uma situação econômica difícil, mas os estádios estarão cheios”, assegurou Stofile. “Dependerá, naturalmente, das partidas”, afirmou.

Sem mais artigos