Após uma longa discussão, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal de São Paulo emitiu parecer favorável ao projeto de lei que permite que a Prefeitura emita Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento para a construção do novo estádio do Corinthians, em Itaquera.

No parecer final, os vereadores Aurélio Miguel (PR) e Adílson Amadeu (PTB), que pediram vista ao projeto fizeram dois destaques. O primeiro pediu a limitação dos incentivos a R$ 200 milhões, por entender que os R$ 220 milhões seriam mero lucro da construtora Odebrecht e o segundo pediu a inclusão de artigo que obrigue a aplicação dos valores arrecadados em impostos sejam necessariamente investidos em obras na Zona Leste.

A lei permitirá ao clube que comercialize os CID que, na prática, são títulos que oferecem descontos nos impostos aos investidores que os adquirirem. Com isso, o clube deve arrecadar entre R$ 300 e R$ 420 milhões que, junto com o empréstimo de R$ 400 milhões que será contraído junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), irá fechar a engenharia financeira necessária à construção da Arena.

“Esperamos votar em Plenário até no dia de hoje (…) e podemos votar até na sexta ou no sábado em segunda discussão”, afirmou o presidente da Câmara, vereador Roberto Trípoli (PV), antes de negar que o projeto seja especificamente para beneficiar o Corinthians: “todas as empresas que se deslocarem para aquela região terão direito ao benefício (…) é um projeto para beneficiar Itaquera”.

Sem mais artigos