Condenado em julho do ano passado a 3 anos e 9 meses de prisão na Alemanha após ser considerado culpado pelo incêndio em sua própria casa, em setembro de 2011, o zagueiro Breno concedeu na manhã desta segunda-feira (19) sua primeira coletiva de imprensa depois de 13 meses detido. Revelado pelo São Paulo e com contrato vigente com o Bayern de Munique, o brasileiro de 23 anos conseguiu recentemente a liberação para um regime semiaberto e poderá trabalhar das 8h30 às 13h30 como auxiliar-técnico da equipe Sub-23 do time alemão.

Em sua primeira coletiva, Breno revelou o sofrimento que passou nesse período em que ficou preso. Podendo voltar a ficar mais tempo com a família, o jogador enfatizou a dificuldade de não poder exercer sua profissão.

“Me tornei uma pessoa diferente. Eu aprendi muito na prisão”, disse. “Minha esposa e meus filhos estiveram comigo o tempo inteiro. Eu tenho pensado muito em Deus e sem não dá”, completou o zagueiro.

Liberado para trabalhar como auxiliar-técnico do time Sub23 do Bayern de Munique, o zagueiro não poderá atuar no time comandado por Erik tem Hag, como havia planekado o clube, pois ainda está impedido de atuar profissionalmente e também não possui passaporte comunitário.

“Não não podemos usar no time os estrangeiros não comunitários. Infelizmente, não poderemos”, afirmou Uli Hoeness, presidente do time alemão. “Breno era um prisioneiro modelo, ele vai se comportar aqui perfeitamente”, completou.

O cargo de Breno na comissão técnica do Bayern de Munique será remunerado e o jogador trabalhará todo os dias das 8h30 às 13h30, quando terá que voltar a prisão para continuar sua rotina no regime semiaberto.

Sem mais artigos