Durante a entrevista coletiva deste sábado (15), o zagueiro sérvio Branislav Ivanovic fez uma previsão sobre a provável presença em massa da torcida do Timão na grande final do Mundial de Clubes. “Amanhã haverá um monte de torcedores brasileiros. Sabemos que a atmosfera será similar a estar na América do Sul, mas tentaremos nos adaptar e estar focados no jogo”, disse.

No estádio de Yokohama, onde deverá contar com o apoio de 25 mil torcedores, o Corinthians tentará quebrar uma série de cinco anos consecutivos de vitórias de clubes europeus no Mundial.

“Sabemos que será difícil. Estão se defendendo e jogando bem”, destacou Ivanovic. “Uma final é uma partida completamente diferente, e as pequenas coisas podem decidí-la”, finalizou. 

Já o técnico Rafa Banítez destacou que sua equipe levará a campo contra o Corinthians seu talento como fator-chave para conquistar o título no Japão. “O melhor que esta equipe tem é a qualidade. Posso escolher qualquer jogador e ter certeza de que vai jogar bem”, declarou o treinador em entrevista coletiva. 

O treinador disputará amanhã, no Estádio Internacional de Yokohama, a final do Mundial pela terceira vez – perdeu a de 2005 com o Liverpool para o São Paulo e venceu a de 2010 com a Inter de Milão contra o Mazembe . O técnico dos Blues afirmou que ainda não definiu os titulares para o duelo com o Alvinegro.

“Ainda não tenho a equipe em minha cabeça. Temos uma sessão de treino”, disse o treinador, que confirmou a melhora do meia Frank Lampard, que esteve em campo por poucos minutos na vitória sobre o Monterrey nas semifinais e está em processo de recuperação de uma lesão. “Só se passou uma semana ou duas desde que ele voltou (após a lesão). Temos que ir jogo a jogo”, declarou Benítez, que considera o experiente jogador, de 34 anos, “importante para a equipe” por sua técnica.

Sem mais artigos