César (Antonio Fagundes) pode estar cego, mas não é burro e tem demonstrado cada vez mais desconfianças quanto à fidelidade e o amor de Aline (Vanessa Giácomo), em Amor à Vida. O médico cada vez mais suspeita que há um homem convivendo em sua casa, que no caso é Ninho (Juliano Cazarré).

Com a chegada de Rebeca (Paula Braun), César decide desabafar com a médica: “Eu sinto que muitas vezes tem outra pessoa nessa casa. Eu sinto um cheiro de suor…não perfume, eu acho que é um homem, pelo cheiro. Ontem, quando a Aline saiu, e quando voltou, a porta do carro bateu três vezes, e não duas. No entanto, era só ela e o bebê. Ela me deu uma explicação, mas não fiquei convencido”.

“Eu amo a Aline, mais do que qualquer outra mulher que eu amei na minha vida. E o pior… ela não me deseja mais. Antes, era todas as noites, ela me procurava… mas, agora, é só quando eu quero, e parece que ela está sendo obrigada. Eu tive todas as mulheres que eu quis, Rebeca, todas, e no entanto…essa me rejeita. Isso me dói demais”, continua o médico.

A médica então aconselha que César desabafe com sua filha Paloma, mas ele rejeita a ideia.“Sempre fui eu que traí, mas nunca fui traído, entende? Eu sei e não quero saber. Eu preciso que me ajude. Descubra com toda certeza se há realmente outro homem na vida da Aline. Mas eu preciso de uma certeza. Dos seus olhos. Eu preciso dos seus olhos. Você promete que será os meus olhos, Rebeca?”, pergunta o médico, que recebe uma resposta positiva. “Se está me pedindo…claro que sim, doutor César”, diz ela.

“Se eu descobrir que ela tem outro, o que o senhor vai fazer?” pergunta então a médica que recebe uma reposta enfática: “Se eu tiver certeza, não sei. Mas, por mim, eu matava. Matava, não. Mato a Aline”, diz César.

Sem mais artigos